|
porONU
fonteONU
a 01 DEZ 2014

Mensagem do Secretário-Geral da ONU no Dia Mundial da SIDA

Neste Dia Mundial da SIDA, saúdo o enorme progresso que o mundo tem feito na resposta à epidemia da SIDA. Este ano, líderes mundiais fizeram o compromisso de acabar com a SIDA até 2030. A iniciativa “Abordagem Rápida” lançada na última semana irá permitir-nos alcançar este objetivo.

Quase 14 milhões de pessoas em todo o mundo estão a receber tratamentos da SIDA. Conseguimos reduzir novas infeções da SIDA por 38 por cento desde 2001. Prevenimos 1,16 milhões de infeções a recém-nascidos através de medicamentos antirretrovirais essenciais. Estamos no caminho para oferecer terapias antirretrovirais a 15 milhões de pessoas até 2015 e eliminar a transmissão de mãe para filho nos próximos anos. Graças à dedicação e energia de muitos parceiros incluindo os da sociedade civil, continuamos a combater e a remover leis que estigmatizam e discriminam. O progresso está a acelerar.

No entanto, os ganhos permanecem frágeis. Existem 35 milhões de pessoas a viver com HIV hoje em dia e cerca de 19 milhões delas não têm conhecimento que contraem o vírus. Existem lacunas importantes na nossa resposta a grupos chave de pessoas. Duas em cada três crianças necessitam de tratamento e não dispõe do mesmo. As mulheres jovens são particularmente vulneráveis em muitos países com prevalência alta de HIV. A epidemia da SIDA está a aumentar na Europa de Leste, Ásia Central e no Médio Oriente, alimentada pelo estigma, discriminação e leis punitivas.  Ainda assim, o trabalho essencial dos sistemas de comunidade e organizações de apoio muitas vezes não dispõe de apoios por si. Não podemos deixar ninguém para trás.

Estou satisfeito e orgulhoso ao observar que estamos a seguir o caminho certo. O legado da resposta à SIDA já é aparente enquanto confrontamos o vírus do Ébola na África Ocidental. Temos conhecimento de que os sistemas médicos por si, não são suficientes para oferecer cuidados de saúde robustos. A justiça social, a democratização da ciência, uma responsabilidade partilhada para o financiamento, direitos humanos , igualdade de género e uma abordagem centrada nas pessoas à saúde, são todas lições que temos aprendido na resposta à SIDA que tem sido aplicada em todos os sentidos, incluindo nas nossas discussões para a agenda de desenvolvimento do pós-2015.

Neste Dia Mundial da SIDA, apelo aos líderes mundiais para se unirem nesta causa comum. Há uma luz ao fundo do túnel. Estabelecemos uma meta concreta. Vamos todos acabar com a SIDA até 2030.

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>
2019
2018
2017
2016
2015
2014
2013
2012
2011
2010