|
porUNICEF
fonteUNICEF
a 21 NOV 2014

Em vários países da África Ocidental, o nível de alerta devido ao Ébola continua elevado

Com o aparecimento de novos casos de Ébola no Mali e a continuação da propagação da doença na Serra Leoa, a UNICEF intensificou os seus esforços para ajudar outros países da África Ocidental em risco a prepararem-se para potenciais surtos.

“Os novos casos no Mali recordam-nos que nenhum país na região está imune ao Ébola,” afirmou Manuel Fontaine, Director Regional da UNICEF para a África Ocidental e Central. “Não podemos esperar que haja novos casos em países em risco para agirmos. Temos de ajudar já as comunidades a prepararem-se para casos da doença, se vierem a acontecer, quando acontecerem, onde quer que aconteçam.”

Nos últimos meses, a UNICEF tem estado a trabalhar em todos os países da África Ocidental e Central na revisão dos seus planos de prevenção e de preparação. Nos 13 países que estão em maior risco, foi prioritário evitar os boatos, a partilha de informação que pode salvar vidas e o fornecimento de materiais, como colchões, sabão, gel hidroalcoólico, lixívia, baldes, termómetros, luvas, pacotes de combate a doenças diarreicas, seringas, lonas e tendas.

No Mali, um Centro de Tratamento do Ébola em Bamako já está operacional enquanto outras instalações de saúde, especialmente nas zonas fronteiriças, foram equipadas com serviços adicionais de água, higiene e saneamento. Na capital, Bamako, 77 paragens de autocarro foram equipadas com materiais para lavagem das mãos. 

Na Costa do Marfim, que faz fronteira com a Guiné, a Libéria e o Mali, estão a decorrer campanhas de informação massivas durante a qual animadores sociais comunitários estão a ir de porta-em-porta para promover comportamentos saudáveis. A UNICEF está a trabalhar com líderes comunitários e religiosos e a organizar sessões informativas sobre boas práticas de higiene em mais de 1.000 escolas nas zonas fronteiriças.

Na Guiné-Bissau, um total estimado de 10.000 agentes de saúde comunitários, professores e líderes de opinião vão receber informação e formação sobre o Ébola.

No Benim, 50 estações de rádio locais estão a transmitir mensagens informativas sobre a doença nas oito principais línguas do país e está a decorrer uma campanha dirigida às comunidades através de uma rede de mais de 2.000 promotores de saúde.

Nota:

Os 13 países em maior risco de contaminação pelo Ébola são: Benim, Burkina Faso, Camarões, Costa do Marfim, Gâmbia, Gana, Guiné Bissau, Mali, Mauritânia, Nigéria, República Centro-Africana, Senegal e Togo. Estes países foram identificados durante um encontro regional em Acra em Setembro passado, com base em vários critérios tais como a proximidade geográfica dos países afectados, e as rotas de comércio e viagem com esses países.

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>
2019
2018
2017
2016
2015
2014
2013
2012
2011
2010