|
a 21 MAR 2010

Construir no meio do mar - Maior acesso à Educação nas Ilhas Urok

Na Guiné-Bissau existe uma região ainda vetada ao esquecimento – o Arquipélago dos Bijagós. É neste lugar de difícil acesso que hoje estudam mais de 400 crianças, distribuídas por uma Rede de 7 Escolas de Ensino Básico, um número muito superior aos cerca de 70 alunos com acesso à educação que em 2003 estudavam em instalações improvisadas.

Construção do parque escolar, alargamento do ensino ao 6º ano, formação de professores e criação de círculos de alfabetização para a educação de adultos. Tudo isto foi possível nos 3 anos de intervenção do IMVF – Instituto Marquês de Valle Flôr e da Tiniguena em prol de uma Educação Primária para Todos nas Ilhas Urok. Um Projecto que revolucionou a vida quotidiana das ilhas, levando mais e melhor educação a populações que nunca antes tinham tido acesso ao ensino.

Na ilha de Chediã, uma das 3 do Arquipélago, há cerca de 15 anos que não havia uma escola, nenhum apoio educativo. Este projecto levou às tabancas uma oportunidade de Educação. Hoje existem na Ilha 2 escolas onde estudam cerca de 80 crianças. Estes e outros resultados são apresentados no Relatório “Educação para Todos”.

Este é um exemplo de boas práticas da Cooperação Portuguesa que valorizou competências individuais como saber escrever o nome próprio ou poder tomar notas nas reuniões da tabanca.

Em Urok importa agora responder às expectativas criadas nas cerca de 3.000 pessoas que habitam nas Ilhas. O Projecto Urok Osheni é o próximo desafio. Durante 3 anos este Projecto irá construir um modelo de desenvolvimento sustentável e integrado para a Área Marinha Protegida de Urok.

Saiba mais em www.imvf.org !

A Educação como uma arma…

“Não foi fácil esta aposta em Urok, foi uma verdadeira prova de fogo trabalhar nesta pequena comunidade isolada, com tantas dificuldades reais, mas que oferece tantas outras oportunidades para a própria comunidade trilhar um caminho diferente.”, Diogo Ferreira, Coordenador de Projectos do IMVF

“Houve momentos em que deixei de dormir à noite a lembrar-me o que tínhamos escrito no projecto e o que fazer para colocá-lo em prática… Construir escolas no meio de uma ilha?” Emanuel Ramos, Chefe de Projectos em Urok

“Para que os processos participativos possam concretizar-se e para que as comunidades Bijagós possam tomar nas suas mãos o destino do seu ecossistema, é essencial que obtenham os instrumentos de que carecem.”, Augusta Henriques, Secretária-Geral da Tiniguena

“É uma oportunidade para as crianças de Urok terem acesso ao ensino, permitiu a muitas mulheres que não sabiam ler nem escrever aprenderem a escrever, abrindo-lhes portas”, Manuela Otiango, a única mulher professora em Urok

Os Parceiros

IMVF - Fundado em 1951, o Instituto Marquês de Valle Flôr é uma Organização Não Governamental para o Desenvolvimento (ONGD) que intervém desde 2001 em todos os Países de Expressão Portuguesa actuando principalmente nas áreas da Cooperação e da Educação para o Desenvolvimento. O IMVF iniciou as suas actividades na Guiné-Bissau em 1999 e está presente nas Regiões de Cacheu, Tombali, Biombo e Arquipélago de Bolama-Bijagós com Projectos de Desenvolvimento Rural e Segurança Alimentar, Educação, Reforço Institucional, entre outros.

Tiniguena - A Tiniguena é uma Organização Não Governamental Guineense criada em 1991. Tem como missão contribuir para a promoção de um desenvolvimento participativo e durável e para o exercício da cidadania. Intervém em 3 regiões do Sul da Guiné-Bissau, Ilhas Urok, Zona Verde e Cantanhez e no Bairro Belém em Bissau, desenvolvendo igualmente acções a nível nacional. Os sectores de intervenção são a agricultura durável, a pesca artesanal responsável, a segurança e soberania alimentar, o apoio à economia local, a informação e sensibilização sobre questões ligadas à conservação e valorização do património natural e cultural da Guiné-Bissau.

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>
2019
2018
2017
2016
2015
2014
2013
2012
2011
2010