|
porUNICEF
fonteUNICEF
a 03 JUL 2014

Camarões: Níveis alarmantes de má nutrição entre as crianças e mulheres refugiadas da República Centro-Africana

Uma em cada três crianças da República Centro-Africana (RCA) refugiadas nos Camarões sofre de má nutrição, segundo um levantamento feito pelas Nações Unidas.

“As crianças que sobreviveram ao terror na RCA estão agora em risco de morrer de má nutrição e das complicações que lhe estão associadas,” declarou Félicité Tchibindat, Representante da UNICEF nos Camarões. “Estas crianças estão em perigo iminente de morte. É alarmante ver famílias inteiras subnutridas – incluindo crianças mais crescidas e mulheres.”

Desde Dezembro do ano passado, mais de 100.000 refugiados centro-africanos – dos quais mais de metade são crianças - entraram nos Camarões após terem caminhado ou andado escondidos no mato durante semanas, por vezes mesmo meses. Entre eles, cerca de 20 a 30 por cento de crianças menores de cinco anos chegaram com sinais claros de má nutrição, o que é uma taxa altíssima, o dobro dos 15 por cento considerados ‘críticos' na maioria das situações de emergência.

O levantamento da situação revelou ainda que:
• Cerca de 1 em cada 5 mulheres refugiadas que estão grávidas ou a amamentar também chegaram aos Camarões mal nutridas, o que aumenta o risco para os filhos.
• Pelo menos 17 por cento das crianças que sofrem de má nutrição admitidas em infra-estruturas de saúde têm menos de cinco anos.

Segundo elementos da missão, que inclui peritos da UNICEF, do ACNUR e do Programa Alimentar Mundial (PAM), há muitas crianças doentes e extremamente debilitadas nas enfermarias dos hospitais, por vezes duas ou três por cama.

O risco de má nutrição severa aguda, que pode ser mortal se não for tratada, é particularmente elevado. No centro de saúde de Batouri, perto da fronteira, a taxa de mortalidade em Maio foi superior a 24 por cento.

Com vários parceiros no terreno, a UNICEF o ACNUR e o PAM estão a intensificar esforços para proporcionar a estas crianças e famílias a assistência nutricional de que precisam. Todas as crianças menores de 10 anos estão a receber suplementos alimentares e alimentos terapêuticos prontos a usar. Equipas móveis vão também prestar assistência alimentar a crianças com má nutrição em comunidades de acolhimento.

Desde Março deste ano, mais de 1.600 crianças com má nutrição aguda severa foram internadas nos centros de alimentação terapêutica situados nos pontos de chegada, locais de concentração de refugiados e hospitais. Outras 9.000 crianças e 2.000 mães receberam suplementos de alimentação. No total, mais de 50.000 pessoas receberam assistência alimentar através das agências das Nações Unidas e ONG’s.

“Não é exagero afirmar que esta crise alimentar já ultrapassou largamente um nível crítico,” declarou Gian Carlo Cirri, Director do PAM nos Camarões. “O PAM está a responder de forma intensa para poder garantir o maior apoio possível em termos de nutrição.”

Apesar da gravidade da situação, até à data foram recebidos apenas 2 por cento de um total de 9 milhões de dólares necessários para a resposta alimentar aos refugiados da RCA que estão nos Camarões. O número de vidas perdidas vai aumentar se a comunidade internacional não avançar com mais apoio a esta crise.

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>
2019
2018
2017
2016
2015
2014
2013
2012
2011
2010