|
porUNICEF
fonteUNICEF
a 07 JUL 2014

O número de crianças sírias que precisam de ajuda aumentou 2 milhões enquanto a UNICEF se debate com falta de fundos

O impacto da crise síria nas crianças está a ser cada vez mais devastador, segundo revelam dados das Nações Unidas que acabam de ser lançados.

Segundo estes dados, que acompanham um apelo de fundos das Nações Unidas agora revisto para responder à crise na região, há actualmente 6.5 milhões de crianças sírias que precisam ajuda humanitária urgente, tanto no interior da Síria como as que estão refugiadas nos países vizinhos, o que significa que são mais dois milhões de crianças do que há um ano atrás.

“Os dados confirmam o impacto devastador que o conflito está a ter na vida das crianças sírias,” afirmou Maria Calivis, Directora Regional da UNICEF para o Médio Oriente e o Norte de África.

“As crianças têm assistido a ataques dirigidos contra as suas casas, escolas, centros de saúde e comunidades. Os seus sonhos e esperança estão a ser desfeitos. A comunidade internacional não pode ignorar o que se está a passar.”

As próprias crianças continuam a transmitir um sentimento claro de perda e de medo. Ala’a*, um rapaz de 13 anos de Alepo que vive agora como refugiado na Turquia, há dias contava a um funcionário da UNICEF: “Fugimos da nossa aldeia por causa dos bombardeamentos. Fomos de carro até à fronteira e a viagem demorou três horas e, quando ficou de noite, andámos a pé durante outras três horas já na Turquia. Havia muitos postos de controlo durante o caminho. Vi pessoas com armas na mão e estava cheio de medo.”

A violência, associada às sucessivas deslocações, os surtos cada vez mais frequentes de doenças, incluindo de poliomielite e sarampo, e ainda a ruptura de serviços vitais como a água, saneamento e educação, exigem que a UNICEF redobre esforços para chegar ao maior número de crianças possível no interior da Síria e nos países vizinhos.

No interior da Síria, até à data e apesar dos tremendos obstáculos causados pela violência e restrições de acesso, a UNICEF e parceiros no terreno ajudaram a assegurar acesso a água em condições para cerca de 17 milhões de pessoas, e apoiaram a vacinação de 2.9 milhões de crianças contra a polio – no âmbito de uma campanha regional de imunização sem precedentes que abrangeu 25 milhões de crianças. Entretanto, e no sentido de satisfazer as necessidades básicas das crianças directamente afectadas pelo conflito, a UNICEF forneceu material escolar e didáctico para 114.000 crianças e deu apoio psicológico a 34.000 crianças.

Mas, a falta de financiamento ameaça a capacidade de a UNICEF continuar a prestar assistência vital às crianças vítimas desta crise. Neste momento, a UNICEF precisa de 487 milhões de dólares para cobrir os seus programas de emergência para as crianças na Síria e países vizinhos até ao final de 2014.

“Agradecemos aos nossos doadores, que têm sido de uma grande generosidade. Mas sem novos recursos, as nossas operações – incluindo intervenções no domínio da água e saneamento para os refugiados no Iraque, Líbano e Jordânia serão inevitavelmente interrompidas e algumas definitivamente paradas”, acrescentou a responsável da UNICEF. 

*Nome alterado

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>
2019
2018
2017
2016
2015
2014
2013
2012
2011
2010