|
porONU
fonteONU
a 03 MAI 2014

Mensagem do Secretário-Geral da ONU no Dia Mundial da Liberdade de Imprensa

Todos os anos, no Dia Mundial da Liberdade de Imprensa reafirmamos o nosso compromisso com a liberdade fundamental de receber e transmitir informações e ideias por quaisquer meios, independentemente das fronteiras , consagrada no artigo 19 da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

No entanto, todos os dias do ano, vemos esse direito sob ataque .

Os jornalistas são alvos por falar ou escrever verdades desconfortáveis, por isso são raptados, detidos, espancados e às vezes assassinados. Esse tratamento é completamente inaceitável num mundo cada vez mais dependente de meios de comunicação de massas globais e dos jornalistas que os servem.

Nas zonas de conflito , os jornalistas muitas vezes usam uniformes azuis e capacetes, para que possam ser facilmente identificados e protegidos de ataques. Como sabemos pela própria experiência de operações de manutenção da paz da ONU, a cor azul não oferece nenhuma garantia de segurança.

No ano passado, 70 jornalistas foram mortos, muitos foram apanhados no fogo cruzado de conflito armado. Outros 14 sofreram o mesmo destino este ano.

No ano passado, 211 jornalistas estavam presos. Cerca de 456 jornalistas foram forçados ao exílio desde 2008. E desde 1992, mais de mil jornalistas foram mortos. Quase um por semana.

São números alarmantes . Por detrás de cada estatística há um homem ou uma mulher a tentar simplesmente fazer o seu trabalho legítimo.

Não pode haver impunidade para aqueles que atacam e intimidam jornalistas ou fazem um uso distorcido de procedimentos legais para interromper ou impedir o seu trabalho.

A liberdade de imprensa deve continuar a ser o centro do nosso trabalho para promover a segurança, dignidade e prosperidade para todos.

Os Estados-Membros estão embrenhados na discussão sobre a agenda de desenvolvimento pós- 2015. Esta é uma oportunidade única, que só surge uma vez numa  geração, de orientar o mundo numa direção mais sustentável e equitativa.

Meios de comunicação social livres, quer os tradicionais quer os novos, são indispensáveis para o desenvolvimento, democracia e para a boa governação. Eles podem promover a transparência sobre as novas metas que os Estados-Membros irão adotar – tanto progressos, como deficiências. As redes sociais e tecnologias móveis oferecem novas ferramentas para acelerar a participação dos cidadãos e o progresso económico e social. A função fiscalizadora dos meios de comunicação é essencial para chamar à responsabilidade os governos, as empresas e outros actores.

Neste Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, apelo a todos os governos, sociedades e indivíduos que defendam activamente este direito fundamental como factor crítico para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento do Milénio e avançar a agenda de desenvolvimento pós- 2015.

A liberdade de expressão, os meios de comunicação independentes e o acesso universal ao conhecimento permitirão fortalecer os nossos esforços para alcançar resultados duradouros para as pessoas e para o planeta.
[FIM]


----------------------
Mais informação:
www.un.org/en/events/pressfreedomday/
 

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>
2019
2018
2017
2016
2015
2014
2013
2012
2011
2010