|
porLeigos para o Desenvolvimento
fonteLeigos para o Desenvolvimento
a 27 FEV 2014

Jovens integram formação dos Leigos para o Desenvolvimento para voluntariado de longa duração

Cerca de 33 jovens entre os 21 e os 38 anos vão estar em formação durante  9 meses para poder vir a fazer voluntariado de longa duração, uma experiência missionária em África. Trata-se de uma formação promovida pela ONGD Leigos para o Desenvolvimento (LD), que tem como objetivo formar e preparar futuros voluntários que poderão vir a integrar os projetos de Desenvolvimento que os LD têm atualmente em S. Tomé e Príncipe, Angola, Moçambique.

Os LD formam voluntários que, no terreno, e em missões de média e longa duração, implementam projetos integrados nas realidades sociais e físicas de cada comunidade. O voluntariado dos Leigos não é de emergência, mas de continuidade e sustentabilidade, visando a valorização da pessoa e a criação de condições sustentáveis para que, a médio prazo, os projetos sejam entregues às comunidades locais que os acolhem, passando a ser elas próprias beneficiárias e agentes desse desenvolvimento.

Formandos são maioritariamente do sexo feminino
70% dos formandos são mulheres e a faixa etária mais presente é dos 25 aos 30 anos, representando 42% dos formandos a frequentar a formação. Apenas 6% dos formandos têm idades entre os 36 e os 38 anos.

Maioria dos formandos estão empregados e possuem formação académica variada
42% dos formandos têm emprego e apenas 18% das pessoas que estão a frequentar a formação estão desocupadas profissionalmente. 82% estão ocupados a concluir cursos ou a trabalhar.

As áreas de formação são muito variadas, desde a área da saúde, passando pelo ensino e engenharias, e ciências sociais, entre outras. De um modo geral podemos dizer que 15% dos formandos são da área da saúde (Medicina, Enfermagem, Fisioterapia,  Medicina Veterinária); 15% da área das engenharias e ciências; 12% de formação na área educacional; 18% em ciências políticas e sociais, sendo que aqui os cursos são variados, desde relações Internacionais, ao Direito e Economia, passado pela Educação Social e Psicologia); outros (formações) perfazem os 27 % (são variadas, desde a área mais criativa ao marketing).

Com experiências de voluntariado, maioria dos formandos reside em Lisboa e Porto
A grande maioria dos formandos reside na zona da grande Lisboa (39%), logo seguida do Porto (27%), os restantes residem em outras cidades, um pouco por todo o país: Évora (12%), Coimbra (9%), Sobral de Monte Agraço (6%), Leiria (3%), Setúbal (3%) e Vila Nova de Famalicão (3%).
De referir ainda que 91% dos formandos já tiveram experiências de voluntariado, independentemente do tipo de voluntariado que fizeram e 9% nunca tiveram qualquer tipo de experiências de voluntariado.

Isménia Silva, responsável nacional pela formação dos Leigos para o Desenvolvimento, quando confrontada com que terá mudado nos formandos ao longo dos últimos 15 anos, até aos dias de hoje, refere que, “não sei se mudou muita coisa…as idades são parecidas, as situações profissionais também. No que respeita às áreas de formação, antigamente eram menos variadas, mas isto é um pouco sinal das alterações ao nível da oferta do ensino superior. Mudou também a quantidade de pessoas que chegam aos LD já com experiência de voluntariado. Uma coisa que me parece que mudou mesmo foi a perceção das desigualdades do mundo, o interesse por assuntos na área da cooperação e desenvolvimento, a mente mais atenta ao mundo em redor. É constante o desejo de querer contribuir para um mundo mais justo, de querer estar ao dispor para o que for necessário. Ainda estamos numa fase muito inicial da formação, mas creio que é um grupo participativo e empenhado e está disposto a fazer o caminho da formação, disposto a partilhar”.
 

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>
2019
2018
2017
2016
2015
2014
2013
2012
2011
2010