|
fontePAM
a 16 ABR 2013

SEGURANÇA ALIMENTAR PIORA NO NORTE DO MALI

O Programa Alimentar Mundial das Nações Unidas (PAM) está a trabalhar com organizações parceiras para chegar urgentemente às famílias no norte do Mali, cujo acesso à comida tem sido limitado pelo conflito em curso, que se espera que piore com a chegada da estação de escassez, entre abril e junho.

“Pude visitar Timbuktu na semana passada e vi o quão crítica é realmente a situação humanitária”, afirmou Sally Haydock, Directora Nacional do PAM no Mali. “As áreas à volta de Timbuktu são inseguras e de difícil acesso, os mercados não estão a funcionar de forma adequada, os preços da comida são elevados, os preços do combustível são elevados, e há uma falta de liquidez, o que significa que as pessoas não podem comprar os bens de primeira necessidade”.

• Nas regiões norte de Timbuktu, Gao e Kidal, uma em cada cinco famílias enfrenta uma situação de escassez extrema de alimentos, com uma deterioração significativa do consumo de comida pelas famílias ao longo das últimas três semanas, de acordo com uma recente análise da comunidade humanitária.

• O PAM está a intensificar o transporte de comida por estrada e  barco, e lançou recentemente uma operação logística para levar alimentos da Nigéria. Recomeçaram as entregas por estrada em Kidal, com mil toneladas de comida a chegar à região, que são suficientes para alimentar 34 mil pessoas durante dois meses.

• A alimentação escolar de emergência está em curso em 128 escolas em Gao para ajudar 28.100 crianças em idade escolar. Para além disso, o programa alimentar escolar iniciou-se este mês em 76 escolas em Timbuktu. 

• Novas imagens de vídeo de Timbuktu, que mostram a distribuição de comida por parte do PAM e do seu parceiro Islamic Relief, estão disponíveis neste aqui.

• Um link para 11 fotografias de alta resolução do Mali, com legendas e direitos de autor, aqui.

• Em abril, o PAM planeia fornecer ajuda alimentar a 145.000 pessoas em Timbuktu; 86.700 em Gao; 34.500 em Kidal e 130.000 em Mopti. Noutras partes do país, o PAM tenciona chegar a 37.000 pessoas vulneráveis em Ségou e 4.100 em Kayes.

• No âmbito da sua actual operação de emergência, o PAM planeia apoiar 564.000 pessoas por mês no Mali, incluindo cerca de 360.000 no Norte. O PAM pretende ainda dar assistência todos os meses a 163.000 refugiados Malianos no Burkina Faso, Mauritania e Niger.

• As operações do PAM no Mali e nos países vizinhos requerem cerca de 312 milhões de dólares. O défice orçamental global é de 159 milhões de dólares. A operação está neste momento financiada em 51%.

(artigo escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico)
 

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>
2019
2018
2017
2016
2015
2014
2013
2012
2011
2010