|
fonteOikos
a 06 NOV 2012

A especulação de alimentos ainda será uma ameaça

No passado dia 26 de Outubro, os eurodeputados votaram a revisão da Diretiva "Markets in Financial Instruments (MiFID)", que possibilitaria maior regulação da especulação financeira em torno dos produtos agro-alimentares (facto que tem levado a graves crises alimentares a nível europeu e mundial). Como resultado final, relativamente aos limites impostos para a especulação, foram contabilizados 197 votos a favor*, 310 votos contra e 11 abstenções.

As reformas aprovadas impõem limites sobre a quantidade de acções que um especulador pode manter no mercado, mas a abertura ainda existente continua a dar margem à especulação de alimentos, o que pode impulsionar a subida dos preços, assim como sua volatilidade.
 
Conforme anunciado anteriormente, a Oikos juntou-se a um movimento europeu que visava alertar os eurodeputados para o facto de que a especulação financeira é um dos principais indutores do aumento dos níveis dos preços e da sua volatilidade, a par da produção dos biocombustíveis e dos fenómenos meteorológicos extremos. Neste sentido, a 21 de Setembro, enviou uma carta aos deputados portugueses do Parlamento Europeu a apelar a um determinado sentido de voto na revisão da Diretiva.

De acordo com Christine Haigh, representante do "World Development Movement": "O texto aprovado pela Comissão de Assuntos Económicos contém brechas perigosas: uma definição excessivamente estreita dos limites a serem impostos à especulação, e generosas cláusulas de excepção que excluem algumas empresas de reguladoras. A menos que esses problemas sejam resolvidos, a especulação excessiva continuará a alimentar a volatilidade devastadora de preços que estamos a ver nos mercados mundiais de alimentos".

Próximos passos relacionados com a "MiFID": espera-se que o Conselho de Assuntos Económicos e Financeiros (Ecofin) manifeste-se relativamente a esta questão a 13 de novembro, após o que terá início as negociações entre o Parlamento e o Conselho, bem como com a Comissão Europeia. Há ainda o receio de que o texto actual seja diluído, devido à pressão por parte da indústria.
 
As organizações da sociedade Civil, incluindo a Oikos, irão continuar a mobilizar os cidadãos da UE para garantir que a "MiFID" é usada para conter a especulação de alimentos, e estará atenta aos resultados das negociações a 13 de Novembro.
 
*Dentre os eurodeputados portugueses, votaram a favor: Ana Gomes; Paula Alves; Capoulas Santos; Correia de Campos; Rui Tavares; João Ferreira; Marisa Matias e Inês Zuber.
 
Para mais informações, consulte: www.makefinancework.org/the-food-crises-the-us-drought  

 

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>
2019
2018
2017
2016
2015
2014
2013
2012
2011
2010