|
fontePlataforma
a 25 OUT 2012

Parlamento Europeu define que 2015 será o ano da Cooperação para o Desenvolvimento

O Parlamento Europeu votou, por uma enorme maioria, a favor da designação de 2015 como Ano Europeu da Cooperação para o Desenvolvimento.

Esta votação surge no seguimento da reunião de legisladores da União Europeia que em Estrasburgo aprovaram um Relatório acerca do futuro da política de Desenvolvimento da UE, da autoria do Deputado Europeu Luxemburguês Charles Goerens. Num debate posterior a esta votação o Comissário Europeu para o Desenvolvimento, Andris Piebalgs, declarou também o seu apoio a esta iniciativa.
 
A definição de anos europeus dedicados a temas específicos tem sido implementada desde 1983. 2012, por exemplo, foi designado como o Ano Europeu para o Envelhecimento Activo. O Ano Europeu para o Desenvolvimento (2015) será o primeiro a ter uma designação relacionada com um tema de âmbito mais global e é ainda mais significativo por ser também o ano definido em 2000 como meta para se atingirem os Objectivos de Desenvolvimento do Milénio (ODM). A pouco mais de dois anos deste prazo expirar é claro hoje que, apesar de se terem registado progressos significativos em muitos países em desenvolvimento, a maioria dos ODM não será atingida na maioria dos países mais carenciados. Por outro lado é também claro que a maioria dos países europeus não irá cumprir os compromissos que reiteradamente assumiram relativamente a metas quantitativas e qualitativas sobre a ajuda e combate à pobreza
 
No entanto, a Plataforma Portuguesa das ONGD e a CONCORD (Confederação Europeia de ONG de Ajuda e Desenvolvimento,) consideram esta iniciativa do Parlamento Europeu muito positiva, felicitando o Parlamento Europeu pelo seu apoio a esta iniciativa.
 
Para Pedro Krupenski, Presidente da Plataforma Portuguesa das ONGD, “esta votação é um sinal importante de que, apesar da sua crise interna, a UE mantém-se firme no propósito de ser dos principais actores mundiais na luta contra a pobreza. O facto 2015 ser ano europeu para o Desenvolvimento, ano de transição para novos objectivos e metas de desenvolvimento, também permitirá alertar e mobilizar mais cidadãos para esta luta que deve ser a de todos nós.”
 
A ideia de ter um Ano Europeu para o Desenvolvimento foi inicialmente lançada em 2011 pela Plataforma para a Cooperação para o Desenvolvimento da Letónia (LAPAS).
 
Andris Gobins, membro da LAPAS e Presidente do Movimento Europeu na Letónia, sente-se “orgulhoso por esta ideia ter nascido na Letónia, um país que recentemente era receptor de ajuda ao desenvolvimento mas que se tornou um doador. Estou maravilhado com o enorme apoio que esta ideia recebeu desde o início tanto da parte da sociedade civil como das instituições europeias. Este voto representa um momento-chave no processo. Comecemos agora a trabalhar e esperemos pelo apoio final do Conselho Europeu. Talvez depois possamos começar a pensar em ter um ano do e para o Desenvolvimento a nível mundial.
 
O Comité Económico e Social Europeu (CESE) também apoia a proposta para o Ano Europeu.
 
Para Staffan Nilsson, Presidente do CESE, “A iniciativa de denominar 2015 de Ano Europeu para o Desenvolvimento é um excelente exemplo da cooperação entre o CESE, outras instituições europeias e a sociedade civil. A decisão final acerca da iniciativa é esperada para breve. Agora temos de virar-nos para os níveis nacionais, locais e individuais para recolher sugestões de conteúdos e objectivos concretos. Este Ano Europeu, definido no contexto dos Objectivos de Desenvolvimento do Milénio e dos novos objectivos pós-2015, será um sucesso se conseguir obter um amplo apoio dentro e fora da União Europeia. 
 
Nota: foi criado o portal European Year 2015, uma plataforma interactiva, onde é possível deixar sugestões para celebrar o Ano Europeu 2015.

 

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>
2019
2018
2017
2016
2015
2014
2013
2012
2011
2010