|
fonteFAO
a 15 OUT 2012

Mensagem do Director-Geral da FAO no Dia Mundial da Alimentação

O tema deste ano do Dia Mundial da Alimentação é “Cooperativas agrícolas alimentam o mundo”.

Este tema foi escolhido para destacar como as cooperativas e organizações de produtores agrícolas ajudam concretamente e de múltiplas formas a garantir a segurança alimentar, a criação de emprego e a aliviar as pessoas da pobreza. Para a FAO e os seus parceiros, as cooperativas agrícolas são aliadas naturais na luta contra a fome e a pobreza extrema. A sua importância também foi reconhecida pelas Nações Unidas ao declararem 2012 como o “Ano Internacional das Cooperativas”.
 
Ao longo de três décadas de declínio dos investimentos nacionais na agricultura e na ajuda pública ao desenvolvimento, milhões de pequenos produtores têm-se esforçado para lidar com a variabilidade e as crises climáticas, os mercados e os preços, e para ultrapassar essas dificuldades. Desde a crise alimentar de 2007-2008 muitos países renovaram o seu compromisso de erradicar a fome no mundo e melhorar os meios de subsistência. Mas, em alguns casos, o apoio concreto em termos de políticas, de programas e de recursos financeiros está desfasado dos compromissos verbais.
 
Não se soube tirar partido do aumento dos preços dos alimentos, de 2007-2008, para ajudar os pequenos produtores a encontrarem um caminho para saírem da pobreza
 
Todos os dias, em todo o mundo, os pequenos produtores continuam a enfrentar dificuldades que os impedem de colher os benefícios do seu trabalho e de contribuir não só para a sua segurança alimentar, mas para a de todos, através da participação ativa nos mercados. No entanto, a falta de infraestruturas e o acesso limitado aos serviços e informações, ativos produtivos e mercados, bem como a fraca representação nos processos de tomada de decisão, significa que este potencial não é alcançado.
 
Os dados comprovam que cooperativas e organizações de produtores fortes são capazes de superar essas limitações e mitigar os efeitos negativos das crises, nomeadamente das crises alimentares. Estas sólidas organizações de produtores têm ajudado a preencher um vazio. Têm sido capazes de superar as limitações políticas e de mercado, providenciando aos seus membros acesso a uma série de bens e serviços. Por exemplo, podem reduzir os custos dos agricultores, permitindo-lhes adquirir em grupo e beneficiar de melhores preços na compra de fatores de produção agrícola. Tornam também possível que os membros expressem as suas preocupações e interesses – e que desempenhem um papel ativo no processo de tomada decisões e de formulação de políticas.
 
Há inúmeros exemplos de organizações fortes e inclusivas que promovem uma ação coletiva entre as pessoas que dependem da agricultura, pesca, silvicultura, pecuária e atividades relacionadas, para a sua subsistência. Estas organizações operam na comunidade, nacional ou internacional, trabalhando para combinar os objetivos económicos e sociais dos seus membros.
 
Tem sido repetidamente afirmado que temos os meios para eliminar a fome e a subnutrição. O que é necessário é a criação de um ambiente favorável que permita aos pequenos produtores tirar pleno partido das oportunidades disponíveis. As cooperativas e as organizações de produtores fortes têm um papel essencial a desempenhar.
 
A FAO apoia os governos membros na ajuda ao desenvolvimento das cooperativas e organizações de produtores, através da criação de políticas adequadas, estruturas legais, incentivos económicos e espaços de diálogo necessários. Além disso, a FAO produz dados, conhecimento e boas práticas que apoiam a criação de organizações de produtores e cooperativas que sejam mais autossuficientes, inclusivas e orientadas para o mercado e que favoreçam a igualdade de género
 
A FAO, em conjunto com as Nações Unidas e outros parceiros, incluindo o Comité para a Promoção e Progresso das Cooperativas (COPAC) e as agências com sede em Roma, continuarão a fortalecer e a apoiar as cooperativas, como atores chave, para abrir a porta a novas oportunidades e para alcançar o nosso objetivo comum de melhorar a segurança alimentar num mundo mais sustentável. 

 

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>
2019
2018
2017
2016
2015
2014
2013
2012
2011
2010