|
fonteFEC
a 02 JUL 2012

1096 portugueses participam em acções de voluntariado missionário

Em Portugal trabalharam 694 voluntários missionários. África, América do Sul e Ásia recebem 402 voluntários portugueses (um aumento de 40% relativamente a 2011). Destes, 140 partem para Moçambique, 64 para Angola e 56 para São Tomé e Príncipe. Cabo Verde acolhe 52 voluntários, a Guiné-Bissau 51, o Brasil 25 e Timor-Leste 10. Dois voluntários marcam ainda presença na Colômbia e outros dois na Zâmbia.

Este é o resultado de um inquérito feito às 61 Entidades que integram a Rede de Voluntariado Missionário coordenada pela FEC, sendo que das 61, em 2012, 44 enviam voluntários em missão. Entre elas estão: ONGD, IPSS, Associações Juvenis, Congregações Religiosas, Paróquias, Dioceses, Fundações e grupos informais de jovens e adultos.
 
Jovens mulheres estudantes compõem a maioria do grupo de voluntários
 
São 353 as pessoas que fazem voluntariado nos países em desenvolvimento, integradas em projectos considerados de curta duração, ou seja, entre 15 dias a 6 meses. 49 pessoas dedicam um ou dois anos da sua vida ao Voluntariado para a Cooperação de inspiração cristã. No total, são 402 voluntários que contribuem para o desenvolvimento de países de África, América do Sul e Ásia.
 
A maioria dos voluntários que parte para missões internacionais é estudante (50%), tem entre os 18 e os 25 anos (55%); e é do sexo feminino (70%). É de salientar que 22% dos voluntários de curta duração estão empregados e disponibilizam as suas férias para desenvolver projectos de voluntariado em países em desenvolvimento.
 
Jovens em idade activa pedem licenças sem vencimento e desempregam-se para partir em missões de longa duração
 
Dos voluntários que dedicam 1 ou mais anos ao voluntariado missionário, 37% têm entre os 18 e os 25 anos e 35% entre os 26 e os 30 anos. 57% destes jovens deixaram o emprego que tinham para partir em missão, sendo que 41% desempregaram-se e 16% pediram licença sem vencimento.
 
Educação/Formação é a área de maior intervenção e crianças são o público-alvo preferencial
 
Educação/Formação, Saúde, Pastoral, Animação Sócio-Cultural, Construção de Infra-estruturas e Agricultura são as áreas de intervenção das Entidades que actuam nos países em desenvolvimento, promovendo acções de Voluntariado Missionário, sendo que a maioria tem intervenções em diferentes áreas e privilegia as primeiras três – 80% das organizações trabalha na área da Eucação/Formação; 55% na área da saúde; e 50% na pastoral.
 
Os principais destinatários das acções do Voluntariado Missionário são as crianças (75%), seguindo-se os jovens (57%), as famílias e professores (30%) e as mulheres (25%). Técnicos de associações (14%) e população idosa (11%) também são alvo das intervenções dos voluntários.
 
Valorização da vida em comunidade e aprendizagem de novas formas de estar/ser são as principais transformações sentidas pelos voluntários
 
Participar num projecto de voluntariado missionário dá aos voluntários a oportunidade de se envolverem num processo de educação não-formal, que os torna cidadãos activos, actuantes e comprometidos com a transformação da realidade social, em benefício do bem comum. De acordo com as entidades inquiridas, no regresso de missão, os voluntários dão maior importância à vida em comunidade (68,2%), sendo que o trabalho junto de pessoas de outras culturas, com hábitos e costumes distintos, permite-lhes contactar com diferentes formas de ser pessoa, respeitando cada uma na sua dignidade, contribuindo para uma aprendizagem de novas formas de ser e estar (61,4%).
 
As necessidades de desenvolvimento social e económico são muitas, por isso, ao regressar a Portugal, os voluntários comprometem-se a continuar a apoiar os projectos locais a partir do seu país (47,7%).
 
A vivência prolongada numa cultura distinta sensibiliza os voluntários para as questões relacionadas com a interculturalidade (34%). Por outro lado, viver junto de populações carenciadas e com poucos recursos, desperta nos voluntários a valorização dos recursos naturais, como a água (9%). E, muitos, desejam voltar para o país de missão para aí trabalharem numa empresa, ONGD ou Associação (18%).
 
Em Portugal, os voluntários trabalham com crianças e jovens 
 
694 jovens e adultos realizam actividades de voluntariado missionário em Portugal, sendo que 310 voluntários estão a desenvolver actividades durante as férias. Os restantes voluntários, 384, realizam acções com regularidade durante o ano.
 
A grande parte do trabalho, em Portugal, é realizada na área da Animação Sócio-Cultural (47%), da Educação (44%) e da Pastoral (33%). Os voluntários dedicam o seu tempo, conhecimento e atenção às crianças e jovens (44%), idosos (40%) e famílias (26%).
 
Espalhados pelo país, os projectos de voluntariado multiplicam-se pelas regiões Norte, Centro, Lisboa, Alentejo e Algarve.
 
O Voluntariado Missionário
 
O Voluntariado Missionário é uma das muitas expressões que o Voluntariado pode assumir. Aproxima-se do Voluntariado Internacional para a Cooperação, mas distingue-se pela sua génese cristã-católica.
 
Desde 2002 que a FEC dinamiza a Rede do Voluntariado Missionário e, anualmente, reúne os dados que contribuem para as estatísticas desta realidade que se tem vindo a consolidar ao longo dos últimos 24 anos em Portugal. João Paulo II lançou o apelo “Portugal, convoco-te para a Missão” quando visitou o nosso país em 1991.
 
Nestas duas últimas décadas, Portugal correspondeu com 4496 respostas positivas no que respeita ao voluntariado missionário realizado nos países em desenvolvimento. 

 

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>
2019
2018
2017
2016
2015
2014
2013
2012
2011
2010