|
a 16 MAR 2012

FEC recebe prémio por boas-práticas

“Para as instituições envolvidas neste projecto o prémio é o reconhecimento público e institucional do trabalho da FEC e dos seus parceiros, mas também o reconhecimento da dignidade de muitas mulheres e crianças de Angola”.

Caritas de Angola e FEC - Fundação Fé e Cooperação, duas das principais parceiras no projecto de Saúde Materno-Infantil premiado em Angola, são unânimes na forma como recebem o prémio atribuído pela Associação SinAse. Também visto como um exemplo para outras instituições, este prémio projecta um trabalho que começou em Angola, em Setembro de 2009, em conjunto com a Conferência Episcopal de Angola e São Tomé e a Associação Cristã de Gestores e Dirigentes e com a assessoria da Positive Benefits e da Ambisig.
 
O projecto tem como objectivo a “construção de uma base de dados e de informação que irá permitir, de uma forma fundamentada, realizar o processo de decisão, estabelecimento e desenho do Programa Integrado de Saúde Materno Infantil em Angola. Por outro lado, o diagnóstico será posteriormente utilizado como uma ferramenta essencial não apenas na implementação e monitorização do programa, mas também como ferramenta de advocacia e negociação junto do Ministério da Saúde de Angola e de financiadores institucionais”, explica fonte ligada à Caritas de Angola que acrescenta “pretendemos reforçar, ampliar e maximizar os serviços de saúde materno-infantis, apoiando-nos na rede de infra-estruturas e de técnicos de saúde já presente no terreno”.
 
A implementação do projecto teve início em cinco províncias angolanas: Benguela, Bié, Huambo, Luanda e Móxico, em cerca de 90 unidades hospitalares da Igreja Católica. Durante a sua implementação, constatou-se a falta de dados actualizados e fidedignos no que toca aos cuidados de saúde primários em Angola, em particular nas províncias do interior que são as mais negligenciadas nas políticas de intervenção de saúde, o que este trabalho de diagnóstico procura contrariar. Por outro lado, a prática e experiência no âmbito da implementação de projectos de desenvolvimento mostram que o diagnóstico de necessidades é uma etapa crucial para o futuro sucesso de projectos, aumentando o nível de profundidade da intervenção e, por consequência, o impacto do projecto, reduzindo a falta de coordenação e a duplicação de actividades entre outros factores de insucesso.
 
Como resultado do diagnóstico, começou no dia 1 de Março o projecto Forvida - Formação para a Vida. Nuno Macedo, Coordenador do Programa FEC em Angola, explica a importância deste novo projecto: “ele vai reforçar as competências de parteiras, enfermeiros e responsáveis das unidades de saúde, o que contribuirá para uma melhor prestação de cuidados de saúde às populações, particularmente mães e crianças, com impactos positivos nas taxas de morbilidade e mortalidade respectivas, pelo menos nas unidades de saúde alvo”. Segundo explica Nuno Macedo, “o projecto de diagnóstico serviu sobretudo para fazer um ponto de situação sobre o funcionamento daquelas unidades de saúde da Igreja, o que será muito importante para o desenvolvimento de planos diocesanos de saúde materno-infantil. É a criação de uma ferramenta de gestão da informação das unidades de saúde e pode ter consequências vastas na eficiência e eficácia do subsistema de saúde ligado à Igreja Católica em Angola”.
 
Por: Márcia Carvalho
 
Fonte: FEC -
http://www.fecongd.org/noticia.asp?noticiaid=34011&tipo_id=265 

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>
2019
2018
2017
2016
2015
2014
2013
2012
2011
2010