|
a 30 ABR 2010

Estratégia Nacional tem protocolo

Promover a educação e desenvolvimento entre actores políticos, instituições públicas e privadas, mas também ao nível da formação inicial e contínua de professores e da investigação no Ensino Superior são aspectos centrais da Estratégia Nacional de Educação e Desenvolvimento, cujo plano está em curso desde 22 de Abril.

Por: José Júlio Cruz

29 de Abril de 2010: Dezasseis entidades nacionais acabam de assinar o protocolo que coloca em marcha o plano de acção da Estratégia Nacional de Investigação e Desenvolvimento 2010-2015, um documento que tem por objectivo promover a cidadania global através de processos de aprendizagem e de sensibilização da sociedade portuguesa para as questões do desenvolvimento, num contexto decrescente interdependência, tendo como horizonte a acção orientada para a transformação social.

A assinatura teve lugar em Lisboa, no passado dia 22, tendo a Escola Superior de Castelo Branco estado representada pelo seu director, Henrique Gil, dado que aquela entidade preside à Associação de Reflexão e Intervenção na Política Educativa das Escolas Superiores de Educação (Aripese). “A presença da Aripese neste protocolo é fundamental, dados os desafios em termos de educação que se colocam nos próximos anos, designadamente ao nível da formação de professores”, refere aquele responsável.

De acordo com o documento agora viabilizado pelo protocolo, está prevista a capacitação de entidades públicas e da sociedade civil para a concretização de actividades de educação e desenvolvimento. A este nível incentiva-se a cooperação nacional e internacional, a produção de dispositivos pedagógicos e de instrumentos de apoio, bem como a investigação na área.

Numa segunda grande área está prevista a promoção da consolidação da educação e desenvolvimento no sector da educação formal em todos os níveis de educação, ensino e formação, contemplando a participação das comunidades educativas. Está assim prevista a formação inicial e contínua de professores na área, bem como a colaboração entre instituições públicas e privadas.

A terceira área incide na promoção da educação e desenvolvimento na educação não formal, estando prevista a formação de agentes e a divulgação de materiais e recursos. A quarta e última grande área assenta na promoção de actividades de sensibilização e de influência política implicando a concertação entre actores. Está ainda prevista a realização de uma conferência de educação e desenvolvimento e de um fórum sobre a mesma temática, tendo os dois eventos uma periodicidade anual.

Além da Aripese, as entidades que assinaram o protocolo são o Instituto Português de Apoio ao Desenvolvimento, a Direcção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular, a Plataforma Portuguesa das ONGD, o Centro de Informação e Documentação Amílcar Cabral, a Agência Portuguesa do Ambiente, o Alto Comissariado para a Imigração e o Diálogo Intercultural, a Comissão Nacional da UNESCO, a Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género, o Instituto Português da Juventude, a Associação de Professores para a Educação Intercultural, a Comissão Nacional Justiça e Paz, a Confederação Portuguesa das Associações de Defesa do Ambiente e o Conselho Nacional de Juventude.

Fonte: Jornal Reconquista - Castelo Branco (http://www.reconquista.pt/noticia.asp?idEdicao=229&id=20724&idSeccao=2488&Action=noticia)

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>
2019
2018
2017
2016
2015
2014
2013
2012
2011
2010