|
a 21 JUL 2011

A ONU declara fome na Somália

Nairobi, 20 de Julho de 2011: As Nações Unidas declararam hoje que a fome existe em duas regiões do Sul da Somália: Southern Bakool e Lower Shabelle. No país, perto de metade da população somali – 3.7 milhões de pessoas – está agora em situação de crise, estimando-se em 2.8 milhões o número de pessoas que se encontram no Sul.
Secas consecutivas têm afectado o país nos últimos anos, enquanto o conflito em curso tem tornado extremamente difícil a actuação das agências humanitárias e o respectivo acesso às comunidades situadas no Sul do país.
 
A fome é declarada quando as taxas de malnutrição aguda entre as crianças excedem os 30 por cento; mais de duas pessoas em cada 10.000 morrem por dia; e as pessoas não têm acesso a alimentos e outras necessidades básicas.
 
Mark Bowden, o Coordenador Humanitário para a Somália, advertiu que as taxas de malnutrição são actualmente as mais elevadas do mundo, com picos de 50 por cento em certas áreas do Sul da Somália. Em Southern Bakool e Lower Shabelle, as taxas de malnutrição aguda excedem os 30 por cento, registando-se entre as crianças menores de cinco anos, nalgumas áreas, um número de óbitos superior a seis por dia em cada 10.000. Nos últimos meses, dezenas de milhares de Somalis morreram por causas relacionadas com a malnutrição, na sua maioria crianças.
 
“Se não agirmos agora, a fome irá propagar-se às oito regiões do Sul da Somália nos próximos dois meses, devido a colheitas fracas e surtos de doenças infecciosas,” afirmou Bowden. “Continuamos a não ter todos os recursos em alimentos, água potável, abrigo e serviços de saúde para salvar as centenas de milhares de somalis desesperadamente necessitados,” acrescentou.
 
A falta de recursos é alarmante. “Cada dia de atraso na assistência é literalmente uma questão de vida ou morte para as crianças e suas famílias nas áreas afectadas pela fome”, declarou Bowden.
 
Embora as agências humanitárias das Nações Unidas tenham saudado a recente declaração de Al Shabaab solicitando assistência internacional no Sul da Somália, a impossibilidade de as agências de ajuda alimentar trabalharem na região desde o início de 2010 impediu a ONU de alcançar os mais famintos – especialmente as crianças – e contribuiu para a actual crise.
 
Apesar dos desafios existentes, as agências humanitárias estão a trabalhar arduamente para dar resposta a esta situação. A fim de chegar a mais crianças com intervenções que possam salvar-lhes a vida, a ONU e seus parceiros intensificaram a nutrição de emergência, água e saneamento, e a imunização para combater a malnutrição e travar as doenças. Para agilizar a entrega de bens nas áreas mais duramente afectadas, a ONU tem estado a enviar por via aérea artigos médicos, produtos nutricionais e água.
 
As áreas mais afectadas da Somália situam-se no Sul, particularmente na região de Lower Shabelle, Middle e Lower Juba, Bay, Bakool, Benadir, Gedo e Hiraan, onde se estima que se encontrem 310.000 crianças a sofrer de malnutrição aguda.
 
Perto de metade da população da Somália enfrenta uma crise humanitária e precisa urgentemente de assistência. O número de pessoas em situação de crise aumentou em mais de um milhão nos últimos seis meses. Mais de 166.000 somalis fugiram do país em busca de assistência e refúgio nos países vizinhos desde o início deste ano, dos quais mais de 100.000 desde Maio. Até agora, só no mês de Julho, registaram-se quase 40.000 novas chegadas de somalis aos campos de refugiados na região.
 
“Mais do que nunca, o povo Somali precisa e merece toda a nossa atenção. Neste tempo de crise, temos de realizar esforços extraordinários para prestar apoio aos Somalis onde quer que se encontrem, e esperamos que todas as partes envolvidas façam o mesmo”, concluiu Mark Bowden. 
  
 _______

 
A UNICEF Portugal lançou um apelo de recolha de fundos para a ajuda humanitária às crianças nos países do Corno de África (Somália, Quénia, Etiópia e Djibuti).
 
Os donativos podem ser efectuados:
 
- Em
www.unicef.pt  
 
- Nas Caixas Multibanco:
Menu "Transferências", Seleccionar "Ser Solidário", Optar por "UNICEF"
(Para obter o comprovativo do donativo, válido para efeitos fiscais, seleccionar a opção "Factura" e introduzir o Número de Contribuinte).
 
- Por cheque endereçado ao
Comité Português para a UNICEF
Av. António Augusto de Aguiar, 21 - 3º Esq.
1069-115 Lisboa
 
- Por telefone: 760 501 501 – chamada de valor acrescentado (0,60€ mais IVA)
 
- Por depósito ou transferência bancária para a Conta no Millennium BCP: NIB 0033 0000 5013 1901 2290 5 
   
Para mais informações, é favor contactar:
Roberta Russo em
russor@un.org ou +254 733 643 737
Abdi Yussuf Noor em
nooryussuf@un.org ou +254 734 210 103
Helena de Gubernatis, UNICEF Portugal,
hgubernatis@unicef.pt ou +351 21 3177513

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>
2019
2018
2017
2016
2015
2014
2013
2012
2011
2010