|
a 23 SET 2010

Objectivos do milénio: Metas dos países africanos mais difíceis após crise

A crise financeira e económica mundial tornou mais difícil que África atinja os Objectivos de Desenvolvimento do Milénio (ODM) e os países ricos devem aumentar a parte da ajuda destinada a esse continente, advogam a OCDE e a ONU.

Num relatório publicado hoje, em que fazem o terceiro “exame mútuo da eficácia do desenvolvimento”, a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), que reúne vários países ricos, e a Comissão Económica das Nações Unidas para África consideram que “os progressos conseguidos em termos de governação permitiram atenuar os efeitos da crise no continente” africano.
  
Mas os efeitos são “ainda assim dolorosos”, consideram as duas organizações, referindo que o crescimento económico desceu de 6,0 por cento em média de 2006 a 2008 para 2,2 por cento em 2009.
  
Isto comprometeu “os progressos impressionantes que tinham começado a registar-se em África com vista aos ODM” e deixa o continente “frente a desafios ainda mais difíceis de ultrapassar nos cinco anos que faltam para a data fixada, 2015”.
   
O relatório foi publicado em Nova Iorque no âmbito da cimeira mundial que decorre até quarta-feira para verificar os progressos conseguidos e conseguir a renovação de compromissos.
   
Os ODM, acordados pela comunidade internacional em 2000, visam reduzir a pobreza, a fome, a mortalidade materna e infantil, a doença, a habitação inadequada, a desigualdade de género e a degradação ambiental, até 2015.


Fonte: Jornal i, por Agência Lusa

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>
2019
2018
2017
2016
2015
2014
2013
2012
2011
2010