|
a 22 SET 2010

"Queremos ser um país desenvolvido, não apenas sobreviver", diz PM de Cabo Verde

O primeiro ministro de Cabo Verde afirma que o país já está a pensar para além dos Objectivos do Milénio, que irá realizar na data prevista, e que, mais do que sobreviver, quer ser uma sociedade moderna e competitiva.

"Os países são ajudados para manter a cabeça apenas fora de água e não se afogar. Nós queremos mais do que isso, queremos parcerias para o desenvolvimento, queremos um país desenvolvido", disse José Maria Neves à Lusa em Nova Iorque, em entrevista à margem da Cimeira dos Objectivos do Milénio, nas Nações Unidas.
    
"Não queremos apenas sobreviver, queremos viver no mundo moderno e para isso estamos a trabalhar", adiantou o chefe de Governo cabo-verdiano, pouco depois de intervir na Assembleia Geral da ONU.
   
Como a muitos outros países em desenvolvimento, a crise também originou uma redução da ajuda internacional a Cabo Verde, mas o mais importante são as parcerias e investimentos, afirma Neves.
   
Os Objectivos do Milénio podem até ser um estímulo à economia global, permitindo abrir novos mercados, retirando da pobreza grandes estratos populacionais dos países menos desenvolvidos, defende.
   
"A realização dos ODM não deve passar apenas pelas relações intergovernamentais, deve passar por investimentos privados, parcerias, ultrapassar essa ideia de que devemos estribar ajuda nas acções humanitárias", disse à Lusa.
     
"Se conseguirmos o crescimento de África, que milhões de africanos entrem no mercado de trabalho e melhorem a sua qualidade de vida, estaremos a contribuir para que haja mais negócios, mais empresas, mais investimentos", adiantou.
     
"A realização dos objectivos não deve passar apenas pelas relações intergovernamentais, deve passar por investimentos privados, parcerias, ultrapassar essa ideia de que devemos estribar ajuda nas acções humanitárias. Temos é de criar dinâmicas de crescimento e de desenvolvimento dos países menos avançados, criar oportunidades nesses países, desenvolver empresas, negócios, novas oportunidades de desenvolvimento para que possamos desenvolver a humanidade", defende.
     
O governo cabo-verdiano reclama sucesso em toda a linha nas metas para 2015, um dos poucos casos considerados de sucesso em África, o continente mais atrasado.
   
Algumas metas, nomeadamente o combate à pobreza, poderão ser alcançadas mesmo antes do prazo.
           
"Cabo Verde está confiante, determinado, para no horizonte de 2015 realizar absolutamente todos os ODM", afirma José Maria Neves.
          
"O país está a transformar-se num país competitivo, com coesão social, com qualidade ambiental, e Cabo Verde tem feito uma gestão muito rigorosa, muito transparente dos recursos públicos", sublinha.

Para aprofundar os resultados alcançados, o executivo prevê continuar a reforma da segurança social, fundamentalmente o sistema não contributivo, "para que todos possam ter acesso", afirma.
             
Previsto está ainda o investimento em novas especialidades médicas, "levando os serviços preventivos a todas as ilhas e todos os lugares mais distantes do país, para atingir a meta de saúde para todos", e também "investir fortemente na educação". 

Fonte: OJE/Lusa

    

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>
2019
2018
2017
2016
2015
2014
2013
2012
2011
2010