|
a 21 SET 2010

Relógio digital assinala ao minuto a morte de uma mulher no parto

Relógio instalado pela Amnistia Internacional na emblemática praça nova-iorquina de Times Square

Um relógio digital instalado esta segunda-feira pela Amnistia Internacional (AI) na emblemática praça nova-iorquina de Times Square assinalará a cada minuto a morte de uma mulher em trabalho de parto, numa acção de sensibilização da sociedade para este drama.
 
A iniciativa da AI coincide com o início da cimeira dos Objectivos de Desenvolvimento do Milénio (ODM), que decorre até quarta-feira na sede das Nações Unidas, em Nova Iorque.
Durante três dias, o «relógio da morte materna» marcará 3700 vidas perdidas.
 
Em comunicado, a AI alerta que a redução da mortalidade materna em 75 por cento em 2015, um dos oito ODM, está longe de ser conseguida. Segundo a ONU, em 2008 cerca de 358 mil mulheres morreram ao dar à luz, o que equivale a mil mortes por dia.
 
A maioria das mulheres que morre durante o parto vive em países em desenvolvimento ou em comunidades com poucos recursos.
 
Mas também há casos registados em países desenvolvidos, como por exemplo nos Estados Unidos, onde, avisa a Amnistia Internacional, metade da mortalidade materna poderia ser evitada se existisse um sistema de saúde público para as mães.
 
Nas piores estatísticas em termos de morte materna, os Estados Unidos posicionam-se atrás da Bulgária e da Coreia do Sul.
 
Fonte: TVI24
http://www.tvi24.iol.pt/internacional/amnistia-internacional-ultimas-tvi24-obito-parto-gravida/1192994-4073.html
 

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>
2019
2018
2017
2016
2015
2014
2013
2012
2011
2010