|
porAPF
fonteAPF
a 09 ABR 2019

ASSOCIAÇÃO PARA O PLANEAMENTO DA FAMÍLIA E FUNDAÇÃO VODAFONE LANÇAM CONCURSO DE CRIATIVIDADE PARA IDENTIDADE DA PLATAFORMA “LIVRE.COM”

Para muitos/as jovens, a escola não é ainda um espaço seguro. Segundo o EU LGBT Survey, cerca de 94% dos/as jovens LGBT ouvem ou testemunham comentários e comportamentos negativos em contexto escolar em Portugal. Os dados existentes sobre a violência no namoro mostram que quase um terço dos rapazes legitima comportamentos de violência no namoro e cerca de 24% normaliza a violência sexual nestas relações.

Por outro lado, e de acordo com os estudos realizados em Portugal pela Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género (CIG), é possível concluir que o preconceito entre o valor do trabalho para homem e mulher, começa a ser desenvolvido nas crianças entre os 6 e os 8 anos. Os resultados destes estudos permitem ainda concluir que, apesar de serem mais as mulheres licenciadas, a taxa e as remunerações médias de base são superiores nos homens, em cerca de 20%.

A Associação para o Planeamento da Família (APF), com o apoio da Fundação Vodafone e apoio institucional da Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género (CIG), dão agora início a um conjunto de ações, que visam a criação de uma plataforma web e app, que se denominará “Livre.com”, dirigida a crianças dos 1º e 2º ciclo, seus pais, educadores e professores, que tem como objetivo principal, fomentar a literacia quanto à igualdade de género e à liberdade para a orientação sexual.

O projeto inicia-se esta semana com um concurso de criatividade para a conceção da identidade global da plataforma, lançado aos alunos de design de 4 universidades (Faculdade Belas Artes Lisboa e Porto, Faculdade de Arquitetura Lisboa e ESAD Matosinhos). Depois de escolhida a proposta vencedora, serão criados o website, app e redes sociais do projeto, até final de Maio.

Para promoção e comunicação desta nova plataforma, será realizado um Teatro Itinerante por Escolas do Ensino Básico (a turmas dos 1º e 2º ciclos) a nível nacional que, de forma pedagógica e positiva, visa contribuir para a consciencialização e educação para a igualdade de género e, ainda, para desconstruir preconceitos sobre a orientação sexual e expressões de género.

Para Rita Andrade Barros, diretora executiva da APF, esta nova plataforma “é um instrumento fundamental para assegurar que as crianças e jovens, mas também professores/as, famílias e cuidadores/as possam ter acesso a informação adequada sobre orientação sexual e expressões de género, enquadrando estes conceitos na normalidade da diversidade humana. Assim, esta plataforma é um meio para promover uma sociedade mais igual e livre de discriminação e violência.”

Luísa Pestana, Presidente da Comissão Executiva da Fundação Vodafone considera que: “Este programa visa envolver crianças e jovens, de uma forma sustentada, agregadora e envolvente, nas temáticas da educação para a Diversidade e Inclusão. Está alinhado com a missão da Fundação Vodafone, assim como com o Propósito da Vodafone Portugal”.

De realçar, ainda, que no âmbito desta plataforma serão desenvolvidos um conjunto alargado de conteúdos sobre estas duas temáticas, desde campanhas nacionais e internacionais, artigos de opinião, trabalhos realizados por alunos e professores, estudos realizados sobre as matérias, tendo sempre como em vista mais e melhor informação junto do público-alvo a que se destina.

 

Regulamento e mais informações.

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>
2019
2018
2017
2016
2015
2014
2013
2012
2011
2010