|
porLeigos para o Desenvolvimento
fonteLeigos para o Desenvolvimento
a 20 JUL 2017

Campanha "Tchiloli"

Imagine: um palco, um trono imponente; um cortejo com majestosos figurinos do séc XVI, cheios de brilho e cor; uma música alegre e melodiosa, que nos transporta para festas da corte na idade média. Feche os olhos e veja a cena a acontecer. Quem assiste? Onde se passa? Quem são os actores?

Agora abra os olhos.

E se lhe dissermos que tudo isto se passa no séc. XXI, num terreiro num bairro em S. Tomé e Príncipe? Trata-se da representação da tragédia do Marquês de Mântua e do Imperador Carlos Magno. Esta peça, tipicamente europeia e estrangeira à cultura de S. Tomé, foi apropriada pelo povo santomense e transformada numa das principais heranças culturais deste país e intitulada Tchiloli.

Hoje há vários grupos de Tchiloli em S. Tomé. Os Leigos para o Desenvolvimento acompanham de perto as actividades de um dos mais antigos – Formiguinha da Boa Morte – que nasceu há 62 anos e que agora necessita de passar por um processo de rejuvenescimento.

O Tchiloli contraria os ritmos do Kuduro e da Kizomba, que cada vez mais se fazem ouvir por terras santomenses, e procura inspirar e passar esta arte de geração em geração, para que ela não morra e continue como uma das maiores relíquias nacionais.

Se quiser fazer parte desta história faça o seu donativo e ajude os Leigos para o Desenvolvimento a manter viva esta tradição cultural, que transforma a vida de quem a vive e transforma também uma comunidade inteira.

Mais informação.

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>
2019
2018
2017
2016
2015
2014
2013
2012
2011
2010