|
porUNICEF
fonteUNICEF
a 28 JUN 2017

As crianças continuam a ser o grupo mais afectado por uma série de emergências no Sudão

Nos últimos meses, o Sudão tem enfrentado múltiplas situações de emergência, com a rápida propagação de casos suspeitos de diarreia aquosa grave em 12 dos 18 estados do país, a entrada de um número significativo de refugiados do Sudão do Sul, e as elevadas taxas de má nutrição, especialmente na zona Jebel Marra do Darfur Central.

Nos últimos 10 meses foram reportados mais de 16.600 casos de diarreia aquosa grave dos quais resultaram 317 mortes, o dobro do nível de alerta. O Estado do Nilo Branco na região central do Sudão é o mais afectado com mais de 5.800 casos reportados. Quase 20 por cento da população atingida são crianças.

“O número actual de casos reportados semanalmente é semelhante aos níveis registados no pico da estação das chuvas no ano passado. No Estado do Nilo Branco, onde quase 100.000 refugiados vivem maioritariamente em campos, a situação pode piorar com o início da época das chuvas, o que é extremamente preocupante”, afirmou Abdullah Fadil, Representante da UNICEF no Sudão.

Por outro lado, mais de 155.000 refugiados do Sudão do Sul procuraram refúgio no Sudão desde o início do ano, incluindo cerca de 100.000 crianças. Com o conflito prolongado no Sudão do Sul e a insegurança alimentar generalizada, o Sudão deverá receber três vezes mais refugiados em 2017 do que era esperado no início do ano. Os estados mais afectados são o Darfur Oriental, o Darfur Norte, o Darfur Sul, o Nilo Branco e Cordofão Ocidental e Meridional. 

“O número crescente de refugiados vindos do Sudão do Sul e as mais de 2.3 milhões de pessoas deslocadas no país, aumentam a pressão sobre os já escassos recursos das comunidades de acolhimento. As crianças continuam a ser a camada da população mais duramente atingida. O apoio imediato e sustentado é crucial para ser possível prestar-lhes assistência humanitária vital, especialmente nos sectores de água e saneamento, saúde e nutrição,” sublinhou Abdullah Fadil.

Segundo recentes levantamentos da situação na zona do Jebel Marra no Darfur Central agora acessível, os níveis de má nutrição são elevados, com as taxas de subnutrição aguda grave de 5,4 por cento. As taxas de imunização são também muito baixas, com crianças de sete anos que nunca foram vacinadas e cerca de 23.000 crianças em idade escolar que precisam de apoio ao nível da educação.

A UNICEF, em cooperação com autoridades estatais e ONGs, está no terreno a prestar assistência em diversos sectores – nutrição, saúde, água, saneamento, promoção da higiene e protecção – através da campanha “Encontrar e Tratar” actualmente em curso na zona norte, centro e ocidente de Jebel Marra. Em meados de Junho, o apelo da UNICEF tinha recebido apenas 33 por cento do montante necessário, incluindo 14 por cento da verba destinada aos refugiados.

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>
2019
2018
2017
2016
2015
2014
2013
2012
2011
2010