|
porUNICEF
fonteUNICEF
a 20 JAN 2017

Crianças refugiadas e migrantes em risco devido ao frio intenso que se faz sentir em grande parte da Europa

Sem sinais de abrandamento do frio extremo e das tempestades que têm estado a afectar as regiões Centro, Leste e Sul da Europa, as crianças refugiadas e migrantes estão altamente vulneráveis a infecções respiratórias e outras doenças graves – e até mesmo em risco de morte devido à hipotermia, alertou a UNICEF hoje.

Na Grécia e nos Balcãs, cerca de 23.700 crianças refugiadas e migrantes – entre as quais crianças pequenas e recém-nascidos, maioritariamente oriundos da Síria, do Iraque e do Afeganistão – continuam retidas. Muitas estão em abrigos mal equipados para as temperaturas gélidas do Inverno.

Em algumas zonas da Grécia, especialmente nas ilhas onde milhares de refugiados estão abrigados em tendas precárias, houve nevões fortes pela primeira vez em desde há muitos anos. A UNICEF continua a apelar para que os refugiados e migrantes que estão actualmente  em campos sobrelotados e com poucos serviços nas ilhas sejam transferidos para instalações mais adequadas e seguras no continente.

“Sem abrigos adequados e roupa quente, as crianças pequenas estão verdadeiramernte em  perigo devido às duras condições atmosféricas” afirmou Basil Rodrigues, Consultor da UNICEF para a Saúde na Europa Central e de Leste. “Os bebés e as crianças mais pequenas têm geralmente menos massa gorda para os proteger do frio, o que os torna mais susceptíveis a problemas respiratórios e infecções virais e bacterianas que podem ser mortais como a pneumonia e a gripe.”

Os abrigos sobrelotados e mal isolados são muito insalubres e favorecem a rápida propagação de doenças especialmente quando as temperaturas baixam. Segundo a OMS, a época da gripe já está em pleno na Europa.

“Para além do tempo frio, os riscos para a saúde destas crianças são também consequência da sua condição de refugiadas e migrantes, vítimas de incerteza e de entraves no processamento dos seus pedidos de asilo,” afirmou Basil Rodrigues. “Este estado de impasse afecta a saúde das crianças, e agrava o seu sofrimento.”

O apoio da UNICEF especificamente para a protecção contra as condições do Inverno na Croácia, Sérvia, Eslovénia e na Antiga Repúblic
a Jugoslava da Macedónia estão a ajudar as mulheres e crianças a manterem-se quentes. Na Bulgária, a UNICEF distribuiu roupas de Inverno e botas a 1.1000 crianças em centros de recepção

Nos Balcãs, desde finais de 2015-2016, os centros de apoio para crianças e famílias, os espaços amigos das crianças e os espaços para mães e bebés, que inicialmente eram estruturas mais ligeiras, foram adaptados para o Inverno com estruturas pré-fabricadas e contentores aquecidos, ou transferidos para edifícios ou estruturas permanentes. A UNICEF está também a distribuir roupas de Inverno e outros artigos essenciais para mulheres e crianças, através de equipas móveis em alguns locais.
 

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>
2019
2018
2017
2016
2015
2014
2013
2012
2011
2010