|
porUNICEF
fonteUNICEF
a 03 JUN 2015

UNICEF promove o regresso à escola de 400.000 crianças sul-sudanesas

No âmbito da campanha nacional para reverter a tendência de diminuição massiva da frequência e participação escolar no Sudão do Sul, e levar 400.000 crianças a retomarem a sua escolaridade, realizou-se hoje o último lançamento estadual em Yambio, Equatória Ocidental.

“Todas as crianças no Sudão do Sul têm direito à educação, quer vivam num estado afectado por conflito ou num estado em paz,” afirmou Jonathan Veitch, Representante da UNICEF no Sudão do Sul, durante o evento, perante o Governador, do Embaixador do Japão, do Ministério da Educação, Ciência e Tecnologia, do Governo local, de ONG, estudantes e comunidades presentes.

“O conflito em curso,” prosseguiu Veitch, “e uma economia cada vez mais frágil devastaram o sistema educativo do país, o que teve enormes repercussões numa geração inteira de crianças sul-sudanesas. A educação é também uma questão que salva vidas – sabemos que uma criança cuja mãe saiba ler tem mais 50 por cento de probabilidade de sobreviver aos primeiros cinco anos de vida.”

De todas as intervenções da UNICEF no Sudão do Sul, a do sector da Educação é aquela que tem o maior défice de financiamento, com apenas 21% dos fundos para 2015 recebidos até à data. O Governo do Japão contribuiu generosamente com 9.5 milhões de dólares em 2015 para financiar programas da UNICEF, incluindo no sector da educação, em todos os estados do Sudão do Sul.

“O Governo do Japão está empenhado em ajudar a levar as crianças de volta aos estudos na nação mais jovem do mundo,” afirmou Kiya Masahiko, Embaixador do Japão no Sudão do Sul. “Só a educação poderá proporcionar o desenvolvimento pleno do seu potencial e a construção de futuro pacífico e estável para todos.”

Tanto o Representante da UNICEF como o Embaixador do Japão felicitaram as autoridades do Estado de Equatória Ocidental por estarem a dar prioridade à educação. O Governador abriu o caminho ao insistir na educação para todos, especialmente para as raparigas, e a procura da educação no estado nunca esteve tão alta. Porém, os constrangimentos existentes em termos de recursos significam que as autoridades estaduais não têm como corresponder à enorme procura, o que leva as crianças a abandonarem a escola.

Embora as taxas de matrícula nas escolas no estado de Equatória Ocidental tenham aumentado nos últimos anos, contrariando as tendências, também as taxas de abandono têm sofrido um aumento preocupante. Mais de 50 por cento de todas as aulas no estado continuam a ter lugar ao ar livre. O estado almeja reintegrar 40.000 crianças fora da escola (incluindo 40 por cento de raparigas) no ensino para retomarem a sua escolaridade.

A Back to Learning Initiative (Iniciativa Voltar a Aprender), lançada à escala nacional em Fevereiro deste ano, é uma iniciativa orçada em 42 milhões de dólares destinada a crianças que nunca foram ou se viram forçadas a deixar de ir à escola. Nos estados afectados pelo conflito são 200.000 as crianças visadas, e um número da mesma grandeza em outras zonas. Até à data mais de 100.000 crianças passaram a ter acesso a oportunidades de aprendizagem, e a campanha está a caminho de alcançar até ao fim de 2015 os objectivos traçados.
 

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>
2019
2018
2017
2016
2015
2014
2013
2012
2011
2010