|
porUNICEF
fonteUNICEF
a 22 ABR 2015

Perto de oito milhões de crianças no Sudão vão ser imunizadas contra o sarampo

Na sequência de um dos piores surtos de sarampo na história recente do Sudão, o Ministério da saúde sudanês, com o apoio da UNICEF, da Measles and Rubella Initiative (M&RI) e de parceiros nacionais, está a lançar uma campanha massiva para imunizar 7.9 milhões de crianças com idades entre os seis meses e os 15 anos de idade contra esta doença que põe a vida em risco.

Desde o início do surto no fim de 2014, foram registados 1.730 casos confirmados, 3.175 casos suspeitos e 22 baixas. O estado mais afectado continua a ser o de Darfur Ocidental, com 441 casos confirmados e cinco mortes. Kassala teve 365 casos confirmados e cinco mortes, ao passo que no estado do Mar Vermelho se registaram 263 casos e quatro mortes. 

“O sarampo é uma doença que ameaça a vida mas que pode ser facilmente evitada com imunização atempada,” afirmou Geert Cappelaere, Representante da UNICEF no Sudão. “Cada rapariga e cada rapaz deve ser abrangido, onde quer que vivam. Não há desculpas e nenhuma criança pode ficar de fora.”

A campanha, que arranca hoje, visa numa primeira fase cobrir 28 localidades afectadas em seis dos estados em risco mais elevado, estando previsto que seja alargada a outras zonas identificadas como estando em risco de surto. Ao todo destina-se a 96 localidades em 16 estados afectados e “em risco”.
No entanto, a campanha de imunização vai ser uma operação complexa, dado que o conflito em curso nalgumas zonas do Sudão pode levar a uma restrição do acesso humanitário. Existem crianças nas zonas de conflito em Kordofans, no Nilo Azul e no Darfur que não recebem a imunização de rotina desde 2011. A UNICEF apelou a todas as partes em conflito para que facilitem o acesso humanitário a fim de q2ua as crianças possam receber assistência. 

As crianças são o grupo etário mais exposto ao risco de doença – e, entre essas, as crianças malnutridas estão ainda mais vulneráveis. No Sudão, cerca de 36 por cento das crianças sofrem de atraso de crescimento e o país tem uma das mais elevadas taxas de malnutrição em África. Do número total de casos de sarampo registados no Sudão, 69 por cento situam-se abaixo dos 15 anos de idade, incluindo 52 por cento menores de cinco anos. Às crianças malnutridas, o sarampo pode causar complicações graves, incluindo cegueira, infecções nos ouvidos, pneumonia e diarreia grave. 

A Campanha agora lançada tem um custo estimado em aproximadamente 13.9 milhões de dólares – fundos que são necessários para adquirir 9.6 milhões de vacinas, logística, gestão dos casos de sarampo e activação das redes sociais nas comunidades para assegurar que essa compra seja feita localmente. A UNICEF está a apelar a todos os doadores no sentido de disponibilizarem fundos para o combate ao surto, o qual está a ter um efeito nefasto nas vidas das crianças no Sudão e que também ameaça os países vizinhos. A UNICEF está a trabalhar em coordenação com os países vizinhos a fim de impedir que este surto atravesse fronteiras.

O vírus do sarampo espalha-se por transmissão respiratória e é altamente contagioso. A probabilidade de contágio de uma pessoa não imunizada que coabite com alguém que esteja infectado é de 90 por cento.

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>
2019
2018
2017
2016
2015
2014
2013
2012
2011
2010